Como fazer uma monografia?

Nesta semana, analisaremos a monografia. Esperamos que você ache muito útil. Por suas raízes gregas (“macaco”, um e “graphos”, estudo), refere-se ao estudo de um assunto específico.

Em uma extensão regular de 30 a 50 páginas, trata de um problema que foi investigado com alguma sistemática; Em geral, é o produto de um trabalho de pesquisa documental que responde apenas pelas informações coletadas. Pode ser apresentado como um trabalho argumentativo, expositivo, explicativo ou descritivo.

Função no ambiente acadêmico

Uma monografia é a melhor opção para desenvolver a capacidade de buscar informações de qualidade, saber como analisá-las e organizá-las para obter um entendimento de um tópico definido com precisão. Envolve um exercício mental, pois implica uma recontagem de seu próprio conhecimento, a partir do qual a compilação de informações começa.

E o monografis funciona muito bem se você quiser fazer isso de uma forma mais prática, além de ajudar em seu tempo, ele ainda te dá uma boa estrutura.

Estrutura

As partes de uma monografia são as seguintes: capa, dedicação ou agradecimentos (opcional), índice geral, prólogo (se necessário), introdução, corpo de trabalho, conclusões, apêndices ou anexos e bibliografia. Agora mencionamos o que cada parte consiste.

  • Capa: o título da monografia é estabelecido de maneira ordenada, que deve “refletir o objetivo da investigação, o nome do autor, o nome do orientador, o sujeito, a instituição, o local e a data.
  • Dedicação ou agradecimentos: se desejar, você pode adicionar uma folha que trabalhe para dedicar o trabalho a alguém especial ou para agradecer a uma pessoa ou várias por sua colaboração na realização da monografia.
  • Índice geral: contém as legendas presentes no trabalho e a página em que está localizado é atribuída a cada um. Você também pode adicionar índices específicos dos recursos utilizados, como tabelas, ilustrações, gráficos, apêndices, etc.
  • Prefácio: em uma folha separada, escrita pelo autor ou por outra pessoa. Não é essencial, mas nisso o aluno tem a possibilidade de apresentar os motivos que o levaram a escolher o assunto, os problemas que teve ao realizar a investigação e algumas questões pessoais relacionadas ao seu trabalho (Ander-Egg e Valle, 105). )
  • Introdução: em uma extensão de 2 ou 3 páginas, é abordado o assunto, o problema a ser apresentado e sua relevância, o objetivo específico do trabalho e os objetivos específicos (se houver). Além disso, a título de síntese, as seções do trabalho podem ser mencionadas como um guia para o leitor e alguns autores citados continuamente no texto podem ser destacados. É importante destacar nesta seção o escopo da investigação para que os limites da monografia sejam conhecidos desde o início. Como último passo da introdução, é importante descrever os métodos utilizados para realizar a investigação do problema.
  • Corpo do trabalho: está organizado em capítulos ou seções que devem ter uma ordem precisa. Passa do geral para o particular progressivamente na apresentação da avaliação e apresentação dos dados. É de grande importância vincular logicamente cada subtema da monografia para unificar a investigação. Lembre-se de que os aspectos fundamentais de cada capítulo são “os fatos, sua análise e interpretação, apresentando-os na forma de texto, tabelas, gráficos, ilustrações, etc.” (Ander-Egg e Valle, 108).
  • Conclusões: é feita uma recontagem das principais idéias discutidas no trabalho e são expressas algumas opiniões derivadas da reflexão e análise do tópico, o que pode ser útil para demonstrar que os objetivos estabelecidos no início foram alcançados: “As conclusões constituem a respostas encontradas para o problema colocado na introdução ”(Temporetti, citado em Fabris, 3).
  • Apêndices ou anexos: nem sempre devem ser considerados em uma monografia; no entanto, são materiais de apoio para aprofundar o assunto. Os apêndices têm a função de conceituar questões indiretamente relacionadas à pesquisa central, de forma que possam complementá-la, enquanto os anexos são tabelas, gráficos, tabelas etc. Isso apóia algumas alegações feitas no corpo da obra (Espino Vargas e Jurado Fernández, 4).
  • Notas de rodapé: podem ser usadas quando é necessário adicionar qualquer comentário, definição ou dado relevante que não se encaixe no texto, mas que possa servir de suporte ao leitor.
  • Bibliografia: todas as fontes de informação utilizadas estão listadas. É essencial colocar as informações completas de cada fonte de acordo com o estilo que está sendo usado (APA, MLA, etc.). É recomendável organizá-los em ordem alfabética.

Note-se que, em alguns casos, uma folha de aprovação da monografia e um resumo ou resumo são solicitados no início do trabalho.

Passos para preparar uma monografia:

1. Seleção e delimitação do assunto.
2. Desenvolvimento de uma estrutura experimental de trabalho.
3. Pesquisa e coleta de informações.
4. Informações de depuração de acordo com a estrutura experimental.
5. Reorganização da estrutura se uma nova abordagem foi adquirida na etapa anterior.
6. Preparação de um esboço parcial ou total.
7. Correção da monografia de acordo com as partes que ela deve carregar.
8. Revisão do trabalho prestando atenção especial às citações bibliográficas.
9. Edição da revisão preliminar para apresentação ao orientador.
10. Preparação da versão final.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *